sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Acorda Alice, o sonho acabou!


Existe algo mais ridículo do que jaqueta jeans combinando com calça jeans?
Sim, existe! Não há nada pior do que alguém que não entende que o que era doce acabou!
Tô falando aqui de pessoas que vivem apegadas a situações que já passaram e não conseguem tocar a vida.
Tantas pessoas terminam um namoro e passam meses na espera de que o ex se arrependa e volte.
Tanta gente vive amarrada a um passado que não vive o futuro.
Tenho um amigo que terminou a quase um ano um relacionamento longo e ainda não conseguiu superar o fim (E nem sei se um dia conseguirá).
Meu amigo até se envolve com outras pessoas, chega a gostar de algumas, faz sexo, mas nunca se entrega de verdade, nunca se envolve por completo.
Ele ainda continua totalmente preso ao ex que nem quer saber mais dele.
O coitado do meu amigo acredita lá no fundo que um dia eles voltarão e serão feliz para sempre. É claro que nada é impossível e isso pode acontecer sim, mas não podemos jamais ficarmos presos a uma possibilidade e não tocarmos a vida por causa disso.
Quando você se prende ao passado não consegue vislumbrar o futuro que pode ser muito bom.
Quando você sofre por algo que já passou e não consegue sair desta situação, você está fazendo um pacto com o sofrimento e com a dor.
Existe uma frase que diz: “A dor é inevitável, o sofrimento é opcional”.
A dor existe, mas sofrer pela situação é escolha sua!
Bridget Jones tinha duas opções, ou ela sofria por Daniel Cleaver, ou escolhia a vodca e tocava a vida. Bridget esperta como ela só, escolheu a vodca, tomou um baita de um porre, mais depois entendeu que a vida continua. E foi assim que ela conheceu seu grande amor, Mark Darcy.
Ficar preso a algo que já passou não é somente ter falta de amor próprio, também é burrice.
Ou será que uma pessoa inteligente se fecha para um futuro convidativo e vive de passado?
Eu entendo a dor que a Charlotte tupiniquim deve está sentindo, mesmo porque já passei por isso. Mas diferente dele eu entendi que maior do que a minha dor por algo que terminou é o amor que eu tenho por mim e a enorme vontade de me fazer feliz!
Ninguém poder ser feliz por você, eu já disse isso antes. E Chaplin já disse que o mundo não vai parar para que você cole os cacos do seu coração que foi quebrado.
É claro que ainda lembro do meu ex, e que ainda tenho um carinho enorme por ele. Mas a minha vida continuou e foi me permitindo ser feliz que eu conheci meu novo namorado, que é uma pessoa maravilhosa, linda, carinhosa e encantadora. E o melhor de tudo, me faz feliz!

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Ai essa carência natalina!


Dezembro começa, o clima fica mais frio, as chuvas são constantes, as luzes de natal iluminam as casas e toda a cidade. E com tudo isso nossos corações ficam mais sensíveis e frágeis.
Começamos a sentir saudades daqueles que já partiram, dos amores que tivemos, dos amigos que perdemos contato, e até daquilo que nunca vivemos.
E assim fazemos um restrospecto de toda nossa vida. E se chegarmos a conclusão que não crescemos, que não amadurecemos, que tivemos mais perdas do que ganhos, tudo isso se iguala a CARÊNCIA!!

A época do natal tem o poder de fazer isso com algumas pessoas. De deixar-los sensíveis, frágeis, carentes.
Talvez por isso muitos odeiam esta época de confraternização. Época onde o amor exala por todos os cantos da cidade, e aqueles que não o possuem simplesmente ficam tristes.
Como não ficar triste quando todos comemoram o natal em família e você já perdeu sua mãe? Como não ficar triste quando mais uma ano se acaba e você não progrediu em nada? Ou quando nesta época de sentimentos transbordando você está solteiro e não tem a quem se dedicar e receber amor?
A todo lugar que se vai o ambiente grita: É NATAAAAAAAALLL!!
E o importante disso tudo é acreditar, ou ter fé que no ano que vem as coisas estarão melhores!
Beijinhos, beijinhos
Happy Christmas!!


sábado, 20 de novembro de 2010

Nem tudo são flores...


Será que se Jack não tivesse morrido, ele e Rose viveriam felizes para sempre, sem brigas bobas e o perigo da rotina?
E Edward e Vivian, será que depois que ambos se "salvaram" eles viveram um eterno "conto de fadas" sem idas e vindas?
Muitas vezes movidos por carência e solidão, vivemos na busca desenfreada por nosso "príncipe encantado".
Acreditamos que depois de encontrar aquele que tanto procuramos, os nossos dias de tristeza e melancolia estão acabados. Mero engano!
Não nos damos conta que namorar também traz tristezas, problemas e abdicações.
Namorar muitas vezes nos deixa até mais tristes e solitários do que quando estamos realmente sozinhos.
E acreditem, não existe pior solidão do que a solidão de ter alguém que na verdade não temos, ou seja, alguém que posa como nosso namorado, mas que não age como tal.
As vezes é até melhor que estejamos sozinhos de fato do que termos alguém para chamar de namorado quando que na verdade estamos sozinhos mesmo estando acompanhados.

As pessoas acham que depois que começarem a namorar suas vidas melhorarão 100%, mas nem sempre é assim. Na verdade quase sempre o namoro que vem com carinho e amor, também vem com ciumes e briguinhas.
O namorado que traz a delicia de não passarmos mais os finais de semana sozinhos, é o mesmo que nos deixa inseguro e nos faz perder cabeça quando o namorado chega atrasado, não dar sinal de vida e não atende nossos telefonemas.

É necessário que você perceba que namorar tem seu lado bom sim, mas também tem seus problemas, assim como ser solteiro também tem a solidão e o vazio de uma vida sem dedicação a um outro ser, mas em contra partida tem a maravilha de encontramos pessoas interessantíssimas ao caso, e a liberdade de se dedicar mais aos amigos que deixamos um pouco de lado quando estamos presos a alguém.

Eu tenho um amigo que vivia se queixando comigo que não encontrava ninguém interessante para namorar, que se sentia triste, solitário e depressivo por ver o tempo passar e a pessoa "perfeita" não chegar.
O tempo passou e eis que meu amigo conhece o "carinha dos seus sonhos". Boom! Meu amigo deixou de ser solitário e carente, agora ele tinha um NAMORADO!!
Então começou uma nova fase em sua vida. Ele não desgrudava do namorado, viviam juntos o tempo todo, viagens, passeios, conheceram suas famílias, e o amor parecia aumentar cada vez mais.
Ele só não esperava que depois de um tempo o "carinha dos seus sonhos" desse uma de Heloísa com pitadas de Diná.
O fato é que o cara que até então era perfeito se demonstrou ser um ciumento, inseguro e possessivo. Fazendo assim da vida do meu amigo um inferno!
Não teve solidão certa, e o meu amigo que até então era carente resolveu jogar tudo para o alto e voltar a sua vida de solteiro mais tranquila e pacata. Sem alguém pra se dedicar, mas com certeza com algo que ele já não conhecia faz tempo, PAZ!

Hoje ele me ligou dizendo que tinha ido para Brasília e aprontado todas por lá. Disse que fez e aconteceu com um politico da nossa cidade.
Eu perguntei se ele pensa em namorar de novo, e a resposta foi: "Namorar? Eu quero mais é curtir a vida!"
Tá certo! Meu amigo tá sendo feliz da sua maneira, e não é isso que todos nós queremos, ser feliz?

E em busca desta tal felicidade eu comecei a namorar quase quatro meses atrás com um garoto que prometia me tirar da vida vazia e superficial que eu levava.
Por mais que antes eu estivesse sorrindo na companhia dos amigos, um vazio imenso tomava conta de mim. Eu sentia a falta de ter alguém para me dedicar, de ter alguém para se dedicar para mim. De uma vida a dois!
E depois que comecei a namorar lembrei que os relacionamentos não vêem apenas com coisas boas, eles também trazem as coisas ruins que devemos colocar na balança para ver se vale a pena tentar.
E o Paulo solitário que se fingia de feliz deu lugar ao Paulo feliz que vive tendo dores de cabeça com o namorado.
Cadê a paz que eu tinha quando era solteiro? Troquei paz por companhia noturna?
Troquei a carência que tinha ao lado dos amigos pela carência que tenho ao lado de um namorado que não sabe demonstrar sentimentos? Troquei a preocupação de não encontrar a pessoa ideal pela preocupação de não estar namorando a pessoa ideal?
Foram muitas trocas. E se foram validas? Deixa o tempo dizer!


domingo, 14 de novembro de 2010

So confused!


Se tem uma personagem fictícia que eu me identifico esta é Carrie Bradshaw! Nunca vi alguém tão parecido comigo. Tão passional, tão entregue, tão autêntica, tão confusa!
Assim como a Sra Bradshaw eu sofro muito nos meus relachionchips. Sofro devido nunca estar satisfeito com o que tenho e sempre achar que a "grama do vizinho é mais verde".
Sofro porque odeio que façam joguinhos de amor, mas não sei viver sem jogar.
Sofro porque sempre acho que o amor da minha vida é aquele que já perdi por não ter varolizado.
Aff, eu me odeio por ser assim! Odeio ser louco quando se trata de namoros. E a única coisa que gostaria de ter parecido com Carrie é o bom gosto pra moda.

Carrie sempre amou Big que nunca deu valor a Carrie, e assim a garota de Nova York acabou se envolvendo com Aidan que a amava mais que tudo.
Carrie tinha encontrado em Aidan tudo aquilo que ela precisava e não achava em Big. Agora sim a maluquete fashionista estava feliz correto? Errado!
Mesmo Carrie estando namorando o "homem dos seus sonhos" ainda se via apaixonada por Big e traiu Aidan com o mesmo.
Resumindo a história, Aidan e Carrie terminam, e assim Carrie volta para Mister Big e acabam se casando. Hora do Happy End correto? Errado!
A so confused Carrie tinha que achar algum problema. E achou! Estava sentindo saudades da Carrie que um dia foi. Daquela louca que corria por Nova York com o único objetivo de fazer o homem amado ama-la também. E agora que ele a ama ela sente saudades do passado?? Vai entender. Esta é Carrie Bradshaw! Esta sou eu!!

Como as vezes a vida imita a arte, eu namorava um cara que não me dava valor, até conhecer outro carinha que vou chama-lo aqui de Sr Perfeito. O Sr Perfeito realmente era merecedor de tal apelido. Pela primeira vez na vida me via em um relacionamento onde eu não precisava jogar, onde tudo que eu queria que ele fosse e fizesse, ele simplesmente era e fazia!
Tudo era tão mágico, perfeito e em paz. Bingo! Eu finalmente estava tendo paz em um namoro!Mas tanta paz e calmaria deixou esse relacionamento perfeito não tão perfeito assim. Ele ficou monótono e chato. E eu começava até a sentir saudades do meu ex namorado que me deixava inseguro e perturbado o tempo todo.

Fiquei um bom tempo tentando achar o melhor momento de dar um fim neste relacionamento que pra mim estava entedioso. Mas como dizer ao Sr Perfeito que de tão perfeito ele era chato e que eu não queria mais aquilo pra mim?
Empurrei com a barriga até onde pude, até que o Sr Perfeito percebeu que este relacionamento já não era perfeito há muito tempo e decidiu dar um ponto final. Eu fiquei feliz ? Era tudo que eu queria certo? Errado!
Eu percebi com isso que amava mais do que nunca o Sr Perfeito, que por sua vez não queria mais saber de mim. Pedi pra voltar, corri atrás, mas ele estava muito certo do que queria, ou melhor, do que não queria. E ele não me queria mais na vida dele!

Agora sozinho eu encontro praticamente caindo de para-quedas o cara dos meus sonhos. Ele é lindo, amoroso, não tão cheio de joguinhos como o cara confuso do inicio da historia e nem tão perfeito como o segundo que deixou o relacionamento chato. Agora sim eu posso dizer que estou feliz certo? ERRADOOOOOOOOOOO!!
Meu Deus! Me matem, me internem ou me dêem de comida para os cachorros, mas eu não to conseguindo ser feliz!
O que será que falta? Isso nem eu sei explicar.
Até um certo tempo atrás eu acreditava que ainda não era feliz por completo por ainda amar o Sr Perfeito e sentir saudades dele, a verdade é que ainda sinto saudades, mas ama-lo? Hum...

Ontem quando ia ao cinema do shopping com meu atual namorado para vermos um filme que eu estava louco pra ver faz tempo, eu avisto o Sr Perfeito parado na calçada esperando o ônibus Agora era o momento do meu coração acelerar e minha perna ficar bamba? Não. Isso não aconteceu!
Na verdade não senti nada, nenhuma emoção. Apenas a felicidade dele me ver agora sim no momento ideal. Eu estava lindo, com uma roupa bonita que ele nunca tinha visto e aparentemente feliz.
Atravessei a Doca de Souza Franco correndo como Carrie Bradshaw atravessaria a Sexta Avenida. Eu podia sentir o olhar dele fixo na minha nuca.

Cheguei ao encontro com o meu ex que acabou se atrasando uns vinte minutos que foram o suficiente para eu ficar com raiva e dizer: Estou indo embora!
De coração dilacerado eu voltei para casa, com a sensação de que fiz a coisa certa, com a sensação de que fiz a coisa errada, me sentindo vitorioso, me sentindo perdedor, me sentindo tão confuso...

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

O príncipe virou sapo!


Será que Edward continuou amando Viviam e a tratando como uma princesa mesmo depois do "Happy end"?
Será que os príncipes das princesas da Disney não embarangaram e de repente começaram a passar os domingos vendo futebol pela tv, comendo coxas de frango e coçando o saco?
Quem garante que se Romeu não tivesse morrido ele não desencantaria depois de um tempo e Julieta começaria acha-lo um porre?

Já dizia Cláudia Ohana que depois de um tempo qualquer príncipe desencanta e vira sapo. A rotina na opinião da atriz acaba com qualquer romance e faiscas de paixão.
O fato é que é comum e bem provável que um dia nos encantemos por alguém que parece cheirar chanel n° 5, e depois de um tempo percebemos que na verdade ele tem cheiro de patchouli.


Ixi, eu já perdi a conta de quantas vezes já "comprei gato por lebre". No decorrer da minha estrada amorosa já me deparei com todo o tipo de homem.
Aqueles que no inicio são românticos e atencioso e depois começam a achar que romantismo é brega e cafona, e que a única coisa que merece a atenção é o controle remoto da tv.
Sem falar daqueles que comem "carne enlatada e arrotam caviar". Desses eu já conheci um monte!

E uma das coisas que mais me broxa é ter um cara ao lado que não tem "o que o periquito roa" (como dizia minha tia) e que mesmo assim é cheio de "não me toques". Aff, perco a paciência pra gente assim, e o príncipe desencanta num estalar de dedos.


Meu atual namorado é meio assim. Ele mora mais ou menos perto de minha casa. É no mesmo bairro, mas talvez um pouco longe pra quem vem e volta andando todos os dias.
Hoje quando ele saia de casa e eu iria leva-lo (andando) até sua residência, ele soltou a seguinte frase: "Ai, eu adoraria ter um carro, uma moto, sei lá...Qualquer tipo de transporte para que não precisasse ir andando todos os dias para casa"
Eu li nas entrelinhas "Por que você não tem um carro ou moto pra me levar em casa todos os dias seu pobre?".
Meu ex namorado certa vez disse: "Amor, você já tem tudo ? É bonito, maduro, só falta dinheiro" Me senti como o Bob Esponja quando entrou pela primeira vez na casa da Sandy sem seu capacete com água, a cara murchou!!


Por que será que sempre atraio esse tipo de gente? Será que é por causa da minha aparência falsa de Athinas Onassis? Aff, se for isso mais para Carmen Mayrink veiga, muita pose e pouco dinheiro.
O fato é que nada transforma mais o meu príncipe em sapo do que envolver coisas materiais e cobrar de mim algo que não sou e não tenho e que nunca pretendo ser e ter.

Certa vez conheci um carinha no ônibus de maneira ocasional. O papo fluiu bem, ele era hiper bonito e parecia está gamado em mim.
Ficamos por algumas semanas e eu estava me apaixonando até o dia que ele me pediu dinheiro para comprar alguma coisa porque estava precisando pra alguma coisa e me pagaria com alguma coisa. Eca! Ele virou sapo na mesma hora!


Se seu príncipe virou sapo porque não é mais tão carinhoso quanto antes, ou ficou feio e relaxado, ou quem sabe porque o sexo não é mais tão bom como no inicio, relaxa, gata!
Calce seu sapatinho de cristal, entre na carruagem antes que ela vira abóbora e vá em busca do seu novo príncipe encantado, que um dia pode até virar sapo, mas o importante é que você nunca desistirá de acreditar nos contos de fadas!

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

O ex e a cidade


Quando terminamos um relacionamento com o cara que partiu o nosso coração, alguns horários e lugares da cidade devem ser evitados. O bairro, os shoppings, bares e restaurantes viram um "campo de batalha".

Você não quer mesmo encontrar andando por aí aquele que ainda mexe contigo e que tem o poder de em segundos deixar seu coração em cacos.

Ainda mais se ele estiver feliz da vida e muito mais bonito! Não, não, não, não, não!! É melhor evitar!

Mas a cidade de repente parece ser pequena pra você e o seu ex. E mais cedo ou mais tarde vocês irão se cruzar. O jeito é torcer para que nesse momento você esteja bem bonito, aparentemente feliz e com um amigo do lado que te dará total apoio se você desmoronar.

Mesmo depois de seis meses do fim do meu ultimo relacionamento ainda me pego evitando os lugares que o meu ex possa estar. Não, eu não o amo mais. E estou feliz com o meu atual namorado, mas...

O fato é que fugindo desse momento evito sensações estranhas, sentimentos confusos e um possível mal estar.

O fato de morarmos distantes um do outro ajuda muito, mas em contra partida somos muito parecidos e gostamos das mesmas coisas, e possivelmente podemos nos encontrar naquele barzinho oitentista, na sessão de cinema ou pelos corredores dos shoppings.

Se eu vou desmoronar? Não sei.

Se eu vou perceber que ainda o amo? Não sei.

Se eu vou sair correndo depois de vê-lo? Não sei.

Mas eu sei que independente de qualquer coisa eu vou seguir em frente!!




segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Até que ponto um namorado pode proibir de algo?


Eu sempre fui da seguinte opinião. Um namorado tem que entrar em nossas vidas para somar com aquilo que já temos, com aquilo que já conquistamos ao longo dos anos. E não para subtrair, não para tirar algo que já era nosso e já existia muito tempo antes dele chegar.

Mas aprendi que se tratando de relacionamentos não podemos ser tão radicais. Existem casos e casos. E é de suma importância que para que um relacionamento vingue, ambos aprendam a ceder, ambos colaborem para que essa relação melhore e cresça cada vez mais.

Não existe uma regra ou uma receita para o relacionamento ideal. Por tanto não existe também o limite ideal de até que ponto você pode ceder ou mudar em prol de uma relação.
Mesmo porque cada casal, cada pessoa tem o seu conceito já formulado.

Então respondendo a pergunta título, coloque na balança o que é importante para você.
Pergunte-se se vale a pena mudar ou ceder; Nunca ceda ou mude se achar que está mudando por fulano de tal, a vontade de mudar tem que vir de você e a consciência de que está mudando não por você, não por ele, mas pela relação em si.

Pense no que essa mudança acarretará, no que ela trará de bom e de ruim. Visto que não existem mudanças sem perda e sem ganho.
E nunca, jamais, em hipótese alguma! Mude algo que fira a sua personalidade, seus conceitos, seu carater!!
Não vale a pena mudar nossa essência que cremos ser correta e íntegra em função de nada e de ninguém!

Depois de ter avaliado todos os pontos negativos e positivos, pensado e repensando, é a hora de decidir se muda e cede ou não!
Se bem que quem nos ama de verdade, nos amará de qualquer jeito!

domingo, 3 de outubro de 2010

Ele mudou tanto...


No inicio ele era dedicado, carinhoso e apaixonado. Mas com o decorrer do tempo, aquele cara que você conheceu deu espaço a uma pessoa fria, desinteressada e que parece não lhe amar mais.
O que fazer diante dessa situação? Como reverte-la? É possível fazer com que as coisas voltem a ser como eram antes?
Já passei por isso. E é um processo doloroso ver o amor fugindo pelas suas mãos e você sem nada poder fazer.
Tentei de várias formas reconquistá-lo. Tudo em vão!
Tentava agradar com presentinhos, recadinhos apaixonados, viagens, carinhos e etc.
Mas a verdade é que nada que eu pudesse fazer traria aquele que me amou tanto um dia de volta. Pelo simples fato de que ele não me amava mais.
E que talvez só estivesse comigo por se encontrar cômodo na situação e sem coragem de ir à luta.
Foi um erro namorar alguém que não me namorava mais.
Tantas vezes temos namorados que não nos namoram. Tantas vezes estamos ao lado de alguém não pelo o que ele é, mas pelo o que ele foi um dia.
Não é fácil mesmo ver aquele que um dia te deu tanto carinho, que te ligava o tempo todo dizendo que te amava, ir aos poucos sumindo...
É natural se perguntar se o erro é seu. Na verdade achamos que temos uma certa culpa nisso. E muitas vezes podemos até ter, mas o fato é que nada que você possa fazer trará aquele que um dia te amou de volta.
Muito pelo contrario! Eu percebia que quanto mais tentava reconquistá-lo, mais o perdia.
E foi aí que percebi que a pessoa que eu amava já não existia mais.
E pensando desta maneira decidi botar um ponto final nesse historia com alguém que não era mais aquele por quem me apaixonei.
Saí do relacionamento com a certeza de que aquele que me amou um dia eu levaria comigo pra sempre. Mas que essa nova pessoa que surgiu, poderia ficar livre pra "alçar vôos mais altos". E na verdade, eu já nem me importava mais.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Quando não se esquece um grande amor...

"Já conheci muita gente
Gostei de alguns garotos
Mas depois de você
Os outros são os outros "



O tempo passa e você não consegue esquece-lo. Até se envolve com outras pessoas, mas nada e nem ninguém te faz parar de pensar nele e ama-lo cada vez mais.
Você procura forças pra seguir em frente; Tenta de todas as formas ser feliz; Sai com os amigos em busca de aventuras...
Mas a verdade é que ainda está preso a ele.
E o que é pior: Por tempo indeterminado!!



"Ninguém pode acreditar
Na gente separado
Eu tenho mil amigos
Mas você foi o meu melhor namorado "



Quase 5 meses depois do término de um relacionamento de três anos e meio, eu ainda penso nele todos os dias. Ainda choro por ele todos os dias.
E é inevitável não pensar em como será que anda a vida dele.
Será que está se alimentando bem? Será que já conseguiu pendurar aquela cortina na parede? E o quadro de Sex and the city será que ainda está no armário?
Ai meu Deus! Como eu gostaria de tira-lo da minha mente. De esquece-lo pra sempre!
Mas como se faz pra esquecer o amor mais puro que já recebemos?


"Procuro evitar comparações
Entre flores e declarações
Eu tento te esquecer"



Um amigo me disse certa vez que o amor seria menos complicado se parássemos de amar juntos. Assim não existiria o sofrimento e cada um iria pro seu lado viver sua vida em busca de um outro amor, onde os dois começariam a amar juntos e terminariam juntos.
Ai mas a vida não é assim, não é um filme de fantasia.
E por falar em filme, lembro que assisti certa vez um filme onde a moça para evitar o sofrimento da separação se submetia há uma experiência que a fazia esquecer para sempre o seu grande amor. Ele seria apagado de sua memória, como se nunca tivesse existido.
Era sem lembranças, sem recordações, mas também sem dor.


"A minha vida continua
Mas é certo que eu seria sempre seu
Quem pode me entender?"

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Homem chiclete



Ele liga o tempo todo; Manda torpedos a todo instante; Aparece de surpresa; Quer ficar ao seu lado 24hs por dia; Não gosta de sair se não for com você; Não desgruda de você um só minuto!!
Isso parece um inferno? Para muitos, isto é a visão do paraíso!!
Odiados por muitos e amados por outros. Os "homens chiclete" existem e estão andando a solta por aí.
Muitas pessoas (como é o meu caso) até preferem se envolver com pessoas assim. Calma! Não sou louco, e vou já explicar!
Não sou uma pessoa de muita atitude na relação. Não sei alimentar o relacionamento com telefonemas, mensagens e nem bolar programinhas de "casalzinho feliz". Por tanto quando encontro um cara que se faz presente e me poupa todo esse trabalho é uma "mão na roda".
E isso tudo sem falar que sou carente e necessito de um namorado bem presente na minha vida, mas não tenho atitudes como já disse de fazer a relação acontecer. Por isso os "homens chiclete" pra mim são muito bem vindos, obrigado!
Mas é bom que fique claro que gosto de namorados grudentos e de atitude, mas odeio aqueles que me sufocam e não deixam com que eu tenha um tempo pra mim.
Eu tinha um namorado que era perfeito no inicio da relação. Me poupava de tanta coisa...
Ele aparecia em casa no exato momento em que eu estava morrendo de saudades; Me ligava quando eu pensava em ligar pra ele; Mandava torpedos quando eu estava pensando nele. E além de tudo aceitava todas as minhas ideias malucas.
Mas o namorado que no inicio apenas era muito fofo, foi se tornando com o tempo a minha sombra.
E apesar de ama-lo as vezes eu queria estar sozinho, queria apenas a companhia dos meus amigos sem ele presente, queria ficar desarrumado deitado na cama vendo um filme ruim no dvd.
E ele me sufocava, não me deixava ter um tempo pra mim. Até o sexo que era tão gostoso ficou ruim.
A presença dele que deveria ser boa passou a me incomodar.
E tudo isso porque ele não confiava em mim, tinha medo que na ausência dele viesse a trai-lo.
Cuidado com um "homem chiclete" desconfiado, ele é capaz de virar um maníaco! (risos)

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Namorados e Rivais


Já falei aqui sobre casais gays que na verdade não sentem ciúme um do outro, mas sim inveja.
Li sobre isso numa revista voltada para o público gay. E confesso que parei pra pensar e cheguei a conclusão que realmente em muitos casos não é o ciúme que impera ali. É a pura e simples INVEJA!
Pare e pense. Duas pessoas do mesmo sexo vivendo uma relação amorosa onde os dois possuem o mesmo público. Será que é ciúme que eu sinto quando vejo meu parceiro sendo mais paquerado nas ruas do que eu? A resposta é NÃO! Na verdade muitas das vezes sentimos inveja ao perceber que nosso parceiro é mais atraente do que nós.
E assim como duas amigas adolescentes que se amam,mas que ambas querem ser a mais bonita, a mais popular, a mais sexy...E se tornando assim amigas e rivais. Nós também nos tornamos rivais de nossos namorados.
É claro que os amamos, mas não queremos ser menos que eles. É guerra não declarada!!
E assim disputamos a atenção dos amigos e familiares; Gastamos horrores em roupas e produtos de beleza pra sermos os mais bonitos e glamourosos; E fazemos de tudo pra sermos o mais bem informado e intelectualizado.
Conversando com um amigo, ele me contou que certa vez foi convidado junto com o seu namorado para uma festa à fantasia. E o namorado de meu amigo que é leonino assim como eu e por tanto não gosta de passar despercebido MEEEEESMO! Elaborou sua fantasia por bastante tempo e não parava de pensar no quanto "causaria" quando chegasse na tal festa.
O dia da festa chegou e eles foram lindos rumo ao "sucesso" do Sr PIG!
O Sr PIG só não esperava que seu namorado que nem deu tanta importância assim pra tal festa e muito menos pra fantasia, iria fazer muito mais sucesso do que ele.
Meu amigo disse que todos na festa ficaram encantados com sua fantasia e não paravam de elogiar o quão bonito ele estava.
Enquanto seu namorado mais arrasado do que nunca se encontrava sentado em uma das mesas bebendo feito um porco gordo e com cara de nenhum amigo. DERROCADA!!
O que será que Mister PIG sentia nesse momento? Aposto que não era ciume. Mas muita, muita inveja em ver seu namorado e rival fazendo mais sucesso do que ele.
O lado bom disso tudo, é que depois que chegaram em casa eles tiraram suas fantasias e fizeram muito amor. (Com toques de selvageria)

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Medo de amar

Agorafobia é o nome que se dá para pessoas que tem medo de estar em lugares públicos concorridos.
Aracnofobia é o pavor de aranhas.
Brontofobia é o medo de raios, trovões e tempestades.
E entre tantas fobias existe a Malaxofobia, que vem a ser o medo de amar.
Isso mesmo! Você que tem medo de amar, de se envolver, de jogos de amor e sedução, talvez sofra de malaxofobia!
Muitas pessoas possuem o medo imenso de amar, de se apaixonar, de se envolver. E isso em muito se deve aos sofrimentos causados no passado.
Tenho um amigo que já sofreu tanto por amor, que agora anda com uma armadura invisível para se proteger do mal que o amor pode causar.
Um outro amigo que talvez sofra de todas as fobias existentes no mundo e que precisa ler com urgência "Quem mexeu no meu queijo?" possui um medo imenso de se envolver.
Esses meus dois amigos esquecem que o amor não é só sofrimento, nunca foi e nem nunca será!
Se fosse assim não existiriam tantas pessoas loucas para se apaixonar, loucas para viver uma relação amorosa.
Tá certo que sofremos sim em alguns momentos. O convívio com uma outra pessoa não é fácil dentro de uma relação amorosa. É necessário ter muito jogo de cintura, paciência, tolerância, entre outras coisas.
Mas quer saber ? Tudo isso vale muito a pena quando temos alguém pra ligar a noite antes de dormir e dizer eu te amo. Ou quando passamos por um momento de dificuldade e temos alguém do nosso lado nos dando apoio e nos fazendo acreditar que é possível seguir em frente.
Não existe nada melhor do que fazer tudo ou nada ao lado de uma pessoa que temos como especial!
Fazer a viagem mais alucinante e aventureira com o amado é tão fascinante quanto passar um domingo inteiro com ele deitado na cama vegetando como repolhos.
Só quem sabe as delicias de se amar de verdade não possui o medo de sofrer por esse amor, porque no fundo vale muito a pena se o amor for verdadeiro!
Eu já tive decepções amorosas na vida, já quebrei a cara algumas vezes, já meti os pés pelas mãos, já amei quem não deveria, dediquei amor a quem não merecia e bla bla bla....
Mas também já amei e fui amado, já recebi carinhos verdadeiros, já tive ombro pra chorar, já fiz amor depois de uma briga (isso é muito bom), já me senti o cara mais especial do mundo por ser muito amado. E tudo isso só foi possível porque não tive medo de me entregar e ir em frente!
Pobre daqueles que deixam de viver tantas coisas boas por medo das coisas ruins.
Tenho um amigo que é digno de admiração. O cara já sofreu horrores por amor, e talvez esteja sofrendo neste exato momento em que escrevo este texto, mas não deixa nunca de acreditar que um dia poderá ser feliz amando e sendo amado por alguém que o merecerá de verdade e fará sempre valer a pena.
Ontem, conversando com ele por celular, eu disse que estava com medo de me entregar totalmente nesse relacionamento atual, porque as coisas estão indo rápido demais e meu namorado parece ser meio imaturo.
Sabe o que ele me respondeu?


"O amor é como uma espada, aquele que teme a espada que empunha , não tem direito de empunha-la!"


É, meu amigo realmente é digno dessa tal felicidade. E o melhor ainda, é que ele não tem medo de ir a luta!!

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Reencontro...


Sempre que Jade reencontrava Lucas no "O Clone" o mundo parecia parar, os olhos ficavam fixos, e uma linda canção tocava ao fundo. Nossa! Era puro romantismo!
Na vida real talvez as coisas não sejam bem assim. Talvez nada fique em câmera lenta quando encontramos o ex pelas ruas da cidade, no supermercado, na fila do banco, no shopping....
Talvez não toque música alguma, talvez não seja glamouroso, talvez não haja romantismo, talvez só exista um enorme desconforto, uma dor, uma saudade.
Lembro que estava em um dos shoppings da cidade a caminho do banheiro, quando avistei na frente do elevador e de costas pra mim aquele que tinha quebrado meu coração em pedaços. Era ele! Novamente ele! Ali, na minha frente!!
O que fazer agora? Dei meia volta e saí correndo (Ainda não estava preparado para esse reencontro).
Meu coração ainda estava frágil, e por mais que eu soubesse que o mundo não pararia para que eu colasse os cacos, aquele não era o momento de revê-lo. Não me sentia preparado.
Por que será que sempre encontramos os ex quando menos preparados estamos? Eu estava cansado de um dia inteiro na rua, com uma roupa feia e suada, e sozinho. Não era assim mesmo que eu queria que fosse esse reencontro.
Queria que ele me visse antes de eu vê-lo, eu usando uma roupa bonita, um penteado legal. E de preferência acompanhado por um belo rapaz que me diria algo muito engraçado na hora. E eu daria uma gargalhada no exato momento em que olharia para o lado e o viria me olhando com cara de bobo. Ai, perfect!!
Talvez me sentisse vencedor nesta situação.
E o curioso foi que tempos depois, na parada gay, acompanhado de vários amigos e de meu atual namorado, dançando feito louco eu olho pra trás, e o vejo vindo em minha direção.
Era o reencontro ideal? Eu estava suficientemente bonito e feliz? Sairia como o vencedor? O que eu sentiria?
NADA!! Não senti NADA!
Não senti borboletas no estômago, o mundo não parou nesse momento. E eu ainda ouvia a musica dançante que vinha do trio.
O cumprimentei com um abraço sem nada sentir, apresentei meu namorado sem a sensação de "Sou um vencedor" , e voltei a dançar com aquele que hoje é o meu amor e com aqueles que nos momentos de dor me apoiaram.
É, eu estava curado!

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Todos temos um pouco de "Sex and the City"

Vocês gays e amantes de Sex and the City, já devem ter reparado que temos muito em comum com as meninas que colocam Manhattan de cabeça pra baixo!
Assim como elas, amamos moda, sair com os amigos, somos glamourosos e temos várias histórias de amor e sexo pra contar!
Em qual grupo de amigos não tem aquele mais saidinho, que não quer saber de namorar e só pensa em sexo?
Em qual turminha não existe o romantico que espera pelo seu príncipe encantado? Ou aquele que já anda desacreditado no amor?
Todos nós temos um pouco, ou muito de Sex and the City! E por isso resolvi falar sobre tal assunto no blog. Mostrando para todos vocês leitores, que no meu próprio circulo de amizades existe a Samantha, Charlotte, Miranda e Carrie!

É claro que a Carrie não poderia ser outro a não ser eu! (risos)
Modéstia a parte eu sou aquele do grupo que adora escrever sobre relacionamentos e entende do riscado.
Carrie possui uma coluna no jornal com o título Sex and the City. E eu possuo o blog que neste momento você está lendo.
Mas as semelhanças com a Bradshaw não param por aí. Assim como ela eu sou o mais querido do grupo (risos). O mais procurado por todos os amigos e aquele que de uma certa forma é o capitão do time.
Adoro moda, adoro o glamour e amo Belém como Carrie ama Nova York!
Ah e não esquecendo o fator mais importante! Eu "meto muito os pés pelas mãos" nos relacionamentos.
Digo sim quando quero dizer não, digo não quando quero dizer sim. Me desespero, choro, corro atrás, apareço na hora errada, sou neurótico, as vezes carente, as vezes forte, as vezes louco!
Ou seja, Carrie Bradhsaw na veia!



Em Sex and the City a Samantha Jones é a devoradora de homens. Aqui quem tem esse titulo é o meu amigo Ricardo Lee! Que assim como a femme fatale de Nova York não acredita em amor, apenas em sexo! Aliás em muito, muito sexo!!

Ricardo e Samantha são o que podemos chamar de ninfomaníacos. Só pensam em sexo e o querem a todo instante!

Esses dois são capazes de transar e depois dizer tchau. Simples assim! Sem sentimentos, sem apego, mas também sem dor! Samantha já pegou quase todos os homens de Nova York e alguns do Brooklin, enquanto o Ricardo já pegou quase todos de Belém e alguns de Ananindeua


A princesinha da Upper East Side atende pelo nome de Charlotte York! Aqui o principezinho do Jaderlândia se chama Richard Barroso!
Não tinha mesmo como o Richard não ser a Charlotte. Ambos são românticos, meigos, jamais fazem sexo (eles fazem amor) e acreditam que o príncipe encantado uma hora vai aparecer!

Miranda Hobbes! Este é o nome da mais durona de todas entre as meninas da série.
Desacreditada nos homens e até tendo uma certa mágoa deles, Miranda os trata como objetos ou algo que não se deve levar à sério.
Também desacreditado nos homens, Sammy Fernandez prefere não se envolver sentimentalmente nunca mais!
Ele sabe o quão difícil é quando se envolve e acaba sofrendo.
E assim esses dois desacreditados no amor vão levando suas vidas até se depararem em alguma esquina com aquele que os fará esquecer de tudo isso! (Pelo menos por algum tempo).


quarta-feira, 4 de agosto de 2010

E a gente vai ficando...



Mister R vinha de um relacionamento de 3 anos que acabou repentinamente. Deixando assim o pobre R desnorteado.
E estando carente e vulnerável ele se envolve sentimentalmente com Mister G, que não faz muito o seu tipo. Mas sabe aquele tipo de roupa que não é muito a nossa cara mas mesmo assim a gente veste?
E desse jeito Mister R se permitiu conhecer melhor o garoto que não era o seu número, mas que era gostoso ir ficando...

Levanta a mão aquele que já viveu uma história assim! Todos nós vez ou outra e por vários motivos acabamos ficando com pessoas que não tem muito o nosso estilo, mas que vale a pena ficar por outras razões.
Estas razões podem ser a carência, a vontade de não estar sozinho, o medo de estar sendo exigente demais, a idéia de que a pessoa perfeita não existe e etc e tal.
O fato é que se envolver com alguém que não faz o nosso tipo é um tiro no escuro. Nunca se sabe aonde isso vai dar e quais serão suas proporções. Pois a pessoa pode não ser aquela que você procura, mas se você for aquele que ela sempre quis? E nesse processo ela vai se apegando cada vez mais enquanto você só está "passando uma chuva".
Mas é claro que coisas boas também podem vir daí.
Certa vez conheci um carinha que era baixinho e sem muitos atributos físicos, mas como eu estava carente e ele era tão carinhoso, atencioso e romântico eu me permiti. E não deu outra, em pouquíssimo tempo estávamos namorando e eu completamente apaixonado!
Conclusão: Ficamos juntos por 5 anos!!
Então sabendo-se que ir simplesmente ficando com alguém pode ser bom ou ruim, vai de cada um ter a coragem de arriscar ou não!
Meu atual namorado fisicamente é todo o meu tipo. Lindo e jovem! Mas na personalidade....
O gatinho curte reggae (que eu odeio), é um pouco afeminado, um pouco imaturo e já percebi que gosta de fazer joguinhos.
Então o que fazer nesta situação? Terminar ou esperar pra ver no que vai dar?
Acho que vou tentar fazer valer a pena!

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Quanta insegurança!

Todos nós pelo menos umas 559 vezes na vida já sentimos o "sabor" da insegurança.
A insegurança está presente na vida profissional, escolar, acadêmica, familiar, social e nos relacionamentos amorosos.
Neste ultimo então, eu ganho no quesito insegurança. Me odeio por ser tão inseguro e sei que preciso trabalhar isso em mim.
Qualquer coisa que meu parceiro faça sempre acho que se fez isso é porque não gosta mais de mim quanto antes. Preciso de um psicólogo com urgência!! (risos)
O curioso é que a insegurança sempre bate depois da conquista, e antes de eu sentir que a relação se consolidou.
Começo uma relação bem forte e dono da situação. Depois de perceber que conquistei a pessoa fico inseguro de como deverei fazer pra manter esta pessoa apaixonada por mim. E penso barbaridades a todo instante, e sofro muito com isso.
Meu atual namorado, assim que nos conhecemos tinha o costume de sair da minha casa sempre depois das 22hs, e de um tempo pra cá ele começou a dizer tchau a partir das 18:30.
Minha mente "doentia" me faz acreditar que ele não gosta mais de mim como antes.
Nunca penso que ele vai embora por de repente achar que pode estar me incomodando, ou que esta já era sua rotina antes de me conhecer. Pra mim ele não gosta mais como antes e ponto!
A primeira vez que isso aconteceu passei a noite inteira em claro pensando a respeito. Enquanto isso ele deveria estar roncando e sonhando com os anjos, aff!
E sei que o problema não está nele, está em mim! Nesta tal insegurança que me persegue por 30 anos!!
Já tive um namorado que tinha a mania de me mandar vários torpedos todas as noites. Ele sempre mandava por volta de 7 a 15 torpedos. E sem dizer nada pra ele esperava o sétimo torpedo chegar todas as noites. A minha mente maluca acreditava que se ele não me mandasse pelo menos 7 torpedos por noite é porque não gostava mais de mim quanto antes. Por favor não me internem!! (risos vergonhosos)
O fato é que gosto de ser bajulado, mimado, acarinhado o tempo todo. Foi este tipo de amor que recebi de meus familiares e foi com ele que me acostumei. Talvez por isso não aceite nada menos que isso.
Por esse motivo prefiro namorar caras mais românticos e pegajosos, pois desse jeito sinto que estou sendo amado.
Meu atual namorado é muito fofo e carinhoso, mas não é de ficar dizendo a todo instante o quanto sentiu a minha falta e nem que o quanto me adora. Talvez por isso me sinta tão inseguro. E quando ele diz que vai embora ainda estando cedo, é a "morte" pra mim!
Mas problema identificado e sabendo que ele não vem do outro, mas sim de mim, fica mais fácil a solução.
Cheguei a conclusão que as coisas nos fazem sofrer dependendo do peso que damos à elas.
Se eu tentar não me importar tanto com as despedidas prematuras dele e começar fazer coisas que gosto, ocupando assim meu tempo. Como ir pra academia, ficar na internet, aproveitar pra visitar minha avó, bater papo com os amigos, eu não vou sentir a dor da insegurança.
Por tanto agora quando ele diz bye e bate a porta, eu coloco I will survive em todo o volume e acredito na canção!

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Amor ou costume?


Muitos casais que estão juntos há muito tempo já se perguntaram o que os une na relação. Se é amor ou costume.
Tantas vezes já passei por isso. Tantas vezes fiquei na dúvida se naquela relação realmente existia amor, ou se era apenas o costume de estar junto, o convívio...E desse jeito levava a relação como podia.
Hoje eu sei que se paramos pra pensar se é amor ou costume, é porque já não é amor há muito tempo. Porque o amor não deixa dúvidas. O amor é certeza!!
Quando amamos alguém nem pensamos na possibilidade de estarmos apenas acostumados. Nós sabemos que é amor, nós sentimos o amor!
Por isso que se um dia eu vier a me fazer esta pergunta novamente, já saberei a resposta. E logo chegarei a conclusão que é a hora de terminar.
Nunca mais "empurrarei com a barriga" uma relação falida.
Já vi muitos casais que passam por isso. Ficam anos juntos alimentando uma relação baseada somente no costume de estar juntos e no medo da separação.
Eles se acomodam na situação de namorados e possuem um medo imenso do novo.
Medo de não conhecer pessoas interessantes e de sofrer de solidão.
E nesse processo de separação acabam muitas vezes confundindo as coisas. Acreditam que por estarem sofrendo e sentindo saudades do ex parceiro é porque ainda o amam. Mero engano! Apenas estão tendo carência com doses de nostalgia.
É preciso ser forte neste momento e acreditar que tudo vai passar! Porque na verdade tudo vai passar e a vida volta a ser colorida novamente (falo por experiência própria).
Quando meu ex namorado terminou a nossa relação de 3 anos e meio, senti meu mundo caindo. De repente eu era o Jack Shepard, PERDIDO!! Não na ilha de Lost, mas na ilha que criei ao longo de todo esse tempo que me deixava afastado de amigos queridos, de vida social e de pessoas maravilhosas que podiam deixar meus dias mais alegres.
Hoje eu fiz como o Richard, desobedeci a linda Brooke Shields, fui para o outro lado da ilha e comi das frutinhas!!
E que saber de uma coisa? Não morri!! Vale muito a pena arriscar!

"Se o amor acaba a ninguém cabe a culpa
Se o amor acaba não cabe desculpa
Agora aperte as minhas mãos, sim
Pra que reste o recordar, sim."

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Um novo amor...


Já diz o ditado que nada como um novo amor pra curar a dor de um antigo.
Ai como é bom estar apaixonado, encantado por alguém. A gente fica mais bobo, mais sorridente, mais feliz!!
Aquela sensação gostosa de estar conhecendo aos poucos um novo ser. É um mundo novo surgindo bem na nossa frente, com infinitas possibilidades.
E de repente tudo que já fizemos antes volta a ter gostinho de novidade, já que é com outra pessoa.
A primeira vez que dormimos juntos, o primeiro passeio, a primeira ida ao cinema, a primeira transa...Tudo é encantador, tudo é mágico!
Imaginamos datas especiais juntos, viagens, conhecer a família, os amigos...
Tá certo que nem sempre tudo são flores, e durante o processo existe a possibilidade de conhecermos algum amigo chato que não fomos com a cara, alguma mania irritante, algum vicio feio. Mas quem liga quando estamos simplesmente apaixonados?
Eu já vivi isso muitas vezes na vida. Várias vezes fiz o mesmo passeio com pessoas diferentes, vi o mesmo filme, contei as mesmas piadas. E tudo tinha o sabor do novo!!
Neste momento estou conhecendo uma nova pessoa que me fez entrar no trem e abandonar a estação que já estava parado há muito tempo.
Essa pessoa me encanta e me mostra que é possível sim mesmo depois de tanto sofrimento acreditar no amor.
E quando deito na cama e fico parado olhando pro nada sentindo medo das incertezas do futuro, ELE se vira, e me abraça!

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Flashback com ex. Problema a vista?


Você com certeza já viu esse filme do casal que se separa e depois de um tempo acaba tendo uma recaída. O problema não é nem recaída em si, visto que já é provado que depois do fim da relação o sexo, o beijo, o toque, tudo fica mais gostoso!!
O problema é o que fazer depois de tudo isso? Será que você está preparado para dar uns amassos naquele que um dia foi o seu amor e depois simplesmente dizer tchau?
Ou melhor ainda, será que está preparado para ouvir o tchau dele depois do fica?
Se ambos não se amam mais e apenas ficam por puro desejo, é fácil levar um mini flashback de vez enquando, mas se pelo menos um dos dois ainda mantém algum sentimento a coisa pode ser bem complicada se não houver um "jogo de cintura" da tal pessoa.
É preciso tomar cuidado para não alimentar a cada fica a possibilidade de uma volta. E nem ficar comparando a pessoa que agora é seu amigo com a época que era quando eram namorados.
Quem ler meu blog sabe que terminei uma relação recentemente (quase 3 meses) e que nesse período não tenho muito contato com o meu ex.
O fato é, que em quase 3 meses depois nos vimos ontem pela terceira vez.
A primeira vez foi para devolvermos nossos objetos pessoais, a segunda foi para pegarmos um cinema, e a terceira que foi ontem quando nós fomos a um barzinho oitentista no centro da cidade.
O programa que começou no bar terminou no dia seguinte em minha casa e com direito a "reviver o passado!"
Confesso que foi muito bom ficar novamente com aquele que ainda amo e que há tempos não tínhamos contato físico.
Mas o que fazer quando perceber que os beijos recebidos possuem mais desejo do que sentimento?
O que fazer quando ainda cedo ele diz que está na hora de ir embora?
Pensamentos passam como foguete por minha cabeça.
Será que ele não tá gostando de está aqui?
Será que já quer ir embora por que já marcou com outra pessoa?
E me fazendo essas perguntas eu respondo que pra ele foi apenas um fica, mas e pra mim??
Como eu fico depois que ele vai embora?
Espero que ele mande uma mensagem dizendo o quanto foi boa a tarde que passou comigo?
Espero que ele ligue pra dizer que está com saudades?
E por que será que ele já quis ir se eu ainda queria mais?
Respondendo todas as perguntas com simplicidade e clareza, eu posso dizer que ele viu o fica como apenas um fica e eu como a possibilidade de uma volta.
Mas perá lá! Eu não quero namorar novamente! Eu bem solteiro!
Ih já não sei de mais nada!
CONFUSO! É assim que me sinto!
Tenho um amigo que passa por situação parecida. Ele gosta do carinha que tá ficando e não consegue simplesmente ficar sem envolver sentimento, enquanto que o cara sabe muito bem separar as coisas e não sofre com isso.
Então o que fazer nesta situação?
O meu amigo, e eu também, temos duas alternativas!
Ou nós entendemos que não conseguimos ficar por ficar com aquele que gostamos e damos isso por encerrado, ou continuamos a ficar mas entendendo que não passará disso!
Só eu sei o que senti quando ouvi meu ex dizer que está conhecendo uma pessoa pela internet, que acha a pessoa interessante, que eles tem muito em comum, que vão marcar pra se ver por esses dias e etc e tal.
Eu senti nesse momento o sabor amargo do ciúme. Uma sensação estranhíssima!
Mas logo penso que o meu ex está nascendo agora para o mundo gay. Que eu fui o primeiro cara com quem ele se envolveu e que ele precisa conhecer coisas novas, conhecer pessoas novas!
Quem sabe nisso ele não percebe que eu sou a melhor alternativa!?
Sabe de uma coisa?! Eu vou fazer como o Emett em Queer as Folk!
Ele se envolveu com um carinha que apesar dos seus 35 anos estava entrando no mundo gay agora. E este tal cara até gostava do Emett, mas precisava viver coisas novas antes de se amarrar a uma pessoa.
E foi então que Emett virou pra ele disse: Eu te entendo! Vá curtir sua "juventude gay!" Pois agora você tem 18 anos no mundo gay e tudo é novidade. Quando tiver 21, me procure que eu estarei aqui!

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Gays em busca da juventude eterna


Assistindo recentemente a última temporada de Queer as Folk , pude ver o medo do personagem Ted em envelhecer e se tornar feio. Enquanto isso Brian receava em perder seu lugar no pódio para outro carinha mais jovem e bonito (era a hora de passar a faixa! Como diz um amigo meu.)
E foi então que pude perceber que sou assim. Há anos eu sofro por envelhecer e consequentemente deixar de ser bonito.
Com 20 anos já me sentia um velho e ficava comparando as pessoas da rua comigo, ficava me perguntando: Será que ele é mais jovem que eu? Será que é mais bonito?
Não sei porque tenho esse medo enorme de envelhecer e me tornar feio, visto que nem sou tão vaidoso assim. Mas o fato é que sou até conhecido entre os amigos por sofrer desse mal de querer ser eternamente jovem.
E pra driblar ou camuflar essa "velhice" invisto em roupas mais jovens, amigos adolescentes e atitudes de garoto.
Meu ex dizia que o ideal seria assumir a minha idade. Assumir que sou um homem de 30 anos e aproveitar que hoje sou muito mais bonito do que quando tinha 20 (todos dizem isso e eu não acredito).
Ele dizia que deveria usar e abusar das pólos, das calças clássicas e ter mais atitude de homem. Deixando de lado as roupas extravagantes que segundo ele só me envelhecem e me expõem ao ridículo por mostrar para os outros o "coroa" que tá pagando de garotão.
Agora entendo perfeitamente Doryan Gray que tinha medo de envelhecer e queria ser eternamente jovem e bonito, fazendo um pacto onde a pintura de seu retrato envelhecia e ele não.
E eu não sou o único gay que passa por tal situação. Nesse mundo colorido onde a aparência importa muito, fica difícil não dar valor a isso.
Uma foto feia no msn ou uma idade acima dos 25 pode fazer aquele carinha que parecia bacana ficar off line!
A realidade é que nós gays damos muita importância pra isso sim!
Tá certo que existem gays que gostam de caras mais velhos, de gordinhos, de "pedreiros" e tal...Mas isto é um segmento. A grande maioria quer os belos e jovens!
Basta você ir a academia, ao salão de beleza ou clínica de estética que verá a quantidade enorme de gays em busca da juventude eterna.
Esse medo todo de envelhecer e ficar feio só não pode nos fazer deixar de viver o presente preocupado com o amanhã, pois a única pessoa que eu conheço que ficou mais jovem com os anos foi o Brad Pitt no Curioso caso de Benjamin Button (risos)

sábado, 12 de junho de 2010

Dia dos namorados "alone"


Se tem uma coisa que eu aprendi ao longo dos anos é que solidão é mais um estado de espírito do que estar realmente sozinho.
Você pode se sentir solitário estando entre mil pessoas ou até mesmo namorando. E também pode ter momentos solitários, mas não de solidão, visto que existem muitas pessoas que são sozinhas e amam a vida assim. Apesar de serem sozinhas, não sentem solidão.
E foi pensando nisso que decidi que neste dia dos namorados (o primeiro que passo sozinho durante muitos anos) não iria sentir solidão, apesar de estar sozinho.
Então decidi que Belém seria a minha namorada! Eu namoraria a cidade e nós seriamos muito felizes!
Me arrumei todo pra Belém, ela merecia! E fui ao shopping me encontrar com um carinha que tinha conhecido pela internet, mas que não tinha despertado em mim um grande interesse, ah não ser por se muito bonito. (já deu pra perceber que eu não sou tão fiel a Belém)
O shopping simplesmente respirava e exalava o dia dos namorados!! Eram casais heteros e gays espalhados por todos os cantos, e sempre ensacolados.
Um dos casais que vi usavam a mesma camiseta com uma foto deles e a seguinte frase: SUPER NAMORADOS!! E por um segundo, apenas por um segundo senti uma pitada de inveja! Logo sacudi a cabeça e passou! Era a hora de comprar um milkshake de morango com cobertura extra!!
Sentado na praça de alimentação e degustando meu milkshake sozinho, mas não solitário, reparava as pessoas que passavam, as roupas ridículas que alguns usavam e avaliava minha relação de quase 30 anos de namoro com Belém.
Quando um casal sentou-se na mesa em frente a minha e fez ali mesmo a troca de presentes!! Ah não! Isso já é demais! Eu tinha que levantar!! Mas não levantei, deixei que o sentimento de inveja durasse só um segundo, e se foi...
De repente minha relação com Belém ficou meio abalada e eu já não aguentava mais ficar ali, estava me sentindo como o Nemo (perdido e só querendo voltar pra casa).
O cara já tinha me dado um bolo legal e no fundo eu até agradecia. Então resolvi fechar minha noite de sábado na cama com guloseimas, refrigerante e a sexta temporada de Lost! Era o dia dos namorados perfeito!
Eu me divertia sozinho e percebia que não precisamos de outras pessoas pra sermos completos e realizados. Que é ótimo ter uma pessoa especial em nossas vidas, mas que às vezes não existe nada melhor do que simplesmente rir sozinho!!

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Ex namorados e amigos

Eu sempre fui da seguinte opinião, não é porque não demos certo como namorados que não poderemos ser amigos, colegas, ou simplesmente mantermos contato.
Nunca gostei de excluir pessoas da minha vida. Tanto que me tornei muito amigo de meu primeiro namorado e mantenho uma relação cordial com todos os outros ex.
O fato é que nem sempre é fácil modificar uma relação. Transformar um namoro em amizade não é tarefa das mais fáceis, principalmente no inicio quando não sabemos muito bem como nos comportar, o que falar.
É difícil pra qualquer pessoa ter um grau de intimidade grande com alguém e depois ter que fingir que não é tão intimo assim. Isso é muito estranho!
Estamos acostumados a ganhar intimidade com as pessoas no decorrer do tempo e não o contrario.
É no mínimo esquisito não poder mais agarrar e encher de beijos aquele que um dia foi "seu", ou dizer um simples abraço no fim de cada telefonema, quando que antes eram muitos e muitos beijos e vários eu te amo!!
Como me comportar quando o encontrar novamente? Será que dou um aperto de mão ou um abraço? Será que ainda posso abrir a geladeira dele agora que somos apenas amigos?
Relacionamentos que eram baseados na amizade e cujo os dois tinham muito em comum é mais fácil de se levar, basta falar de um filme que os dois gostam, uma serie televisiva, musicas e pronto! Já temos assunto!!
Mas o que fazer quando a única coisa que nos ligava era o namoro que agora não existe mais? Quando é o momento de falarmos do carinha que estamos conhecendo? E será que estamos preparados para ouvir o que ele anda fazendo?
Devido tudo isso muitas pessoas preferem se afastar, acham que o melhor mesmo é excluir o fulano da vida. Acreditam que esta é a forma de sofrer menos.
Não acho legal tirarmos de nossas vidas alguém que durante um certo tempo foi tão importante pra nós.
Se é difícil manter um contato de inicio, o ideal é conversar abertamente e deixando claro que num futuro próximo poderemos ser amigos.
Quem ler o blog sabe que terminei recentemente um relacionamento de quase quatro anos e estamos tentando ser amigos, o que não é nada fácil, visto que tudo se torna mais difícil quando o sentimento ainda existe.
Terminamos a pouco mais de um mês e de la pra nos vimos apenas uma vez pra devolvermos nossos objetos pessoais e termos a "ultima conversa".
Nesse período afastados nos falamos pouquissímas vezes por telefone, mensagens e MSN.
Tínhamos combinado antes mesmo do namoro acabar que iríamos ao cinema juntos ver Sex and the city 2,  pois temos um amor imenso pela série e consequentemente pelos filmes.
Este plano continuou vivo mesmo após o termino, e eu pensava sempre como seria esse dia. Como me comportaria, se teríamos assunto, se eu iria perceber no olhar dele algum resquício de tudo que  vivemos.
E o dia chegou! Cheguei ao local combinado ao som da música tema do filme que tocava no exato momento que eu caminhava até ele. 
Enquanto ele sentado em uma das mesas da praça de alimentação me fitava da cabeça aos pés. De repente era 2007 novamente! Estava ali o Za za zu com certeza!
Papos meio sem pé nem cabeça e um certo desconforto de ambas as partes e pronto! Estávamos sentados vendo Carrie Bradshaw tendo uma crise de personalidade. A personagem sentia falta do que um dia foi! E eu também!
Ao término do filme saímos pra comer algo, um papo meio "não podemos nos aprofundar" e chegou a hora de dizer tchau!
Nos despedimos na rua, olho no olho! Quando eu disse: "Já que você é mais ocupado do que eu, então vou esperar seu telefonema para nos vermos novamente! Um telefonema, uma mensagem, um sinal de fumaça!!" Aff! Por que disse isso?? Mas enfim, eu dei as costas e fui embora! (sem olhar pra trás!)